Após resgate bem-sucedido de meninos em caverna, Marinha tailandesa fala em “milagre”
30 de julho de 2018
Pastor cita origem e significado do carnaval para reprovar cristãos que aderem à festa
8 de fevereiro de 2019

Lideranças convocam oração contra legalização do aborto

As audiências públicas promovidas pelo Supremo Tribunal Federal (STF) desde a última sexta-feira, 03 de agosto, como introdução ao julgamento da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 442, apresentada pelo PSOL para descriminalização do aborto, motivaram lideranças evangélicas a se manifestaram sobre o tema.

A Associação Nacional de Juristas Evangélicos (Anajure) e o pastor Silas Malafaia usaram suas plataformas para se manifestar contra a possibilidade de descriminalização do aborto e para convocar os cristãos a se manterem atentos e em oração sobre o assunto.


 

Malafaia clama: “Deus tenha misericórdia”

O pastor da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC) publicou vídeos em seu canal condenando a postura do STF de aceitar levar adiante a discussão, uma vez que a Constituição Federal define o Congresso Nacional como legislador.

A Associação Nacional de Juristas Evangélicos (Anajure) e o pastor Silas Malafaia usaram suas plataformas para se manifestar contra a possibilidade de descriminalização do aborto e para convocar os cristãos a se manterem atentos e em oração sobre o assunto.

Em nota, a Anajure pediu orações “para que Deus possa iluminar as mentes e os corações dos ministros do Supremo Tribunal Federal, durante o julgamento, que está em andamento”, e acrescentou: “Além disso, pede também para que os cristãos dirijam suas orações para que a decisão aprovada esteja amparada nos valores da dignidade da pessoa humana, tanto do feto, quanto da mãe”.

O presidente da entidade, Dr. Uziel Santana, pontuou que “esse julgamento é de grande importância para a sociedade brasileira, tendo em vista o conjunto de valores que caracterizam a identidade nacional como cristã”, e alertou para o fato de ações como a proposta pelo PSOL “tende a trazer ainda mais divisões entre os brasileiros, uma vez que a questão do aborto deve ser decidida não apenas por um grupo restrito de onze pessoas, mas por todo o Congresso Nacional, representante legítimo do povo brasileiro”.

As audiências públicas promovidas pelo Supremo Tribunal Federal (STF) desde a última sexta-feira, 03 de agosto, como introdução ao julgamento da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental…